segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Sobre flores, ventos, nadas e os dias


Esse texto é sobre nada.

Existem várias classificações possíveis para os nossos dias. Existem os dias bons, os dias ruins, os dias normais e os dias incríveis, os dias maravilhosos. Dias em que coisas fantásticas acontecem na sua vida, coisas que te marcam e te mudam pra sempre. Os dias ótimos.

No meio desses níveis de qualificação, existem dias como o dia de hoje. Dias que eu não sei classificar. Dias ótimos, maravilhosos, mas que não tiveram nenhum acontecimento fantástico. Apenas os fatores corriqueiros que talvez aconteçam todos os dias e a gente não percebe. Mas hoje foram esses fatores corriqueiros que fizeram do dia de hoje um grande dia. Um dia ótimo.

Hoje eu esperei quarenta minutos por um ônibus que demora dez e eu nem suspirei de irritação. A minha música favorita estava tocando no meu fone de ouvido e o vento parecia fazer cócegas no meu rosto. O vento tinha cheiro de uma flor que me faz lembrar a minha infância, flor essa que até hoje eu não sei o nome. 

Falando em flor, hoje eu também passei por uma tempestade de flores. O vento derrubava todas as pétalas possíveis das flores de uma árvore enquanto eu passava por baixo. Ficaram uns vestígios cheirosos no meu cabelo. Depois de pegar o ônibus, eu sentei perto da janela, fechei os olhos e respirei fundo todo aquele vento que entrava. Eu quis chorar. De alegria. De alegria por estar viva e com vontade de viver pra sempre. Confesso até que uma lágrima rolou pela minha bochecha naquele instante.

Hoje eu vi poesia até em pedra. Literal e metaforicamente falando. Hoje eu vi poesia nas flores, no ônibus que demorou dez vezes a minha música favorita da semana, no vento e até no moço que sorriu pra uma velhinha no metrô mesmo sem conhecê-la. Eu gosto de gente que sorri assim, de graça. Hoje eu vi poesia em tudo o que era coisa. Hoje eu transformei essa poesia em texto. E eu, que tenho uma enorme paranoia de que o próximo texto tem que ser mil vezes melhor que o anterior, hoje não me importei de escrever algo simples. Algo que não fosse maravilhoso, mas que não deixasse de ser bom. E simples.

Hoje eu vi beleza em todo canto. E, talvez, a beleza nem estivesse nas coisas. Talvez ela estivesse nos meus olhos. Hoje, além da felicidade aguda, eu me senti completa com tudo o que eu tenho e com tudo o que eu sou. Eu me senti completa, ainda que incompleta em muitos quesitos. Na verdade, esse texto não é sobre nada. É sobre poucas coisas. É sobre o pouco. Porque, às vezes, o pouco é muito. E, às vezes, o pouco é tudo.


Amelie Poulain me entenderia.

11 comentários:

  1. Esse texto é lindo, amiga! Adoro esses dias em que a vida é simples, mas nossos olhos parecem notar o quão grandioso é esse simples que temos em cada um de nossos dias!
    Te amo! <3

    ResponderExcluir
  2. Amelie certamente te entenderia! É tão bom quando dias assim acontecem, gê! Tão bom! É tudo tão leve e bonito que nossa felicidade sem motivo dá inveja até em nós mesmos! A gente devia nos proporcionar viver assim mais vezes.
    Abraços <3

    ResponderExcluir
  3. Há dias que nada faz sentido, que não queremos nada com nada além de dormir. Talvez amanhã seja melhor que hoje, ou não. Beijos

    ResponderExcluir
  4. Hoje foi um dia que valeu a pena!

    ResponderExcluir
  5. Que delícia de post, amiga! Eu amo esses dias perfeitos que são absolutamente comuns, mas maravilhosos porque nossa, a gente tá viva e a vida é linda e cada respiração é um milagre!
    Vou guardar pra quando eu esquecer disso. <3
    beijos

    ResponderExcluir
  6. "Hoje eu vi beleza em todo canto. E, talvez, a beleza nem estivesse nas coisas. "
    Realmente a beleza não estava nas coisas e sim nesse texto.
    Os nossos dias são assim mesmo, quase sempre iguais, depende da gente torna-los poesia ou não.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Você é linda, Bariezinha! Vivo tentando colocar essa visão simples no meu cotidiano. É isso que faz a vida valer a pena.
    Achei tão você chorar de alegria ali na janelinha do ônibus. Talvez tenha contribuído o fato de eu ter lido depois de ouvir o áudio do whatsapp e morrer de saudade de vocêzinha.
    Beijo! <3

    ResponderExcluir
  8. A beleza está nos olhos de quem vê... Depende de nós!
    Belíssimo texto, Marie!!

    Depois de muito tempo, voltei a postar no blog.

    Beijos!!
    Dani.

    ResponderExcluir
  9. Que lindinha! Desejo que tenha mais muitos dias como esse, de pura felicidade sem motivo aparente!!! :-)
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Que coisa linda amiga ♥ e você pode pegar as coisas mais simples e deixa-las incrível porque é isso o que você faz e é isso o que você é: incrível, extraordinária e eu te amo e to com saudade ♥

    beijos

    ResponderExcluir

Sua opinião é sempre muito importante!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...