quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Nós


Já faz mais de meia hora que meus dedos dançam sobre o teclado e minha mente procura algo sobre o que escrever, que não seja sobre você. Não quero cansar as pessoas que leem os meus textos com nossas histórias, acredito até que elas já sabem de cor e salteado cada trecho dela. O problema é que eu não encontro nada no meio de tanta massa encefálica a não ser o seu nome, as nossas músicas, o teu sorriso. Tudo me leva à você. A nossa música tocando, o seu time jogando contra o meu naquele clássico incrível de domingo, o teu cartão de desculpas guardado na minha carteira..Tudo é você. Desde a primeira vez que nossos lábios se encontraram eu deixei de ser eu e passei a ser nós. Foi uma espécie de permuta, uma troca de pedaços. Um pedaço teu ficou em mim e um pedaço meu ficou em você, mas parece que o pedaço do meu peito que eu deixei com você foi jogado fora. Tentei descartar esse nós que ainda vive em mim, mas é como um arquivo corrompido que não pode ser deletado. É como se ele tivesse sido fragmentado em milhões de pedaços e cada um desses pedacinhos foram distribuídos por todo meu corpo e alma. Eu nunca soube discernir que sentimento eu nutria por você mas se não foi amor, você foi o mais perto que eu cheguei dele. Hoje o que me restaram desse 'nós' foram as lembranças doces, e é isso que você significa pra mim hoje, uma lembrança bonita que já não machuca mais. Meu coração se acostumou com esse vazio, com esse buraco que você deixou. E talvez nunca ninguém encontre essa parte de mim - da qual você abriu mão - para me devolvê-la. No fundo eu gosto desse buraco aberto no peito, mostrando o quão incompleta eu estou desde que você foi embora. Ele mostra que o que eu senti foi real e que de alguma forma você ainda permanece em mim. Acho que no fundo algo me diz que não acabou por aqui, que o destino guarda alguma coisa pra nós dois. E eu espero sem compromisso. Deve ser a maldita da tal esperança, aquela que faz questão de ser imortal.

12 comentários:

  1. Um dia eu fasso um texto desses.. kk JDPSAHIO

    ResponderExcluir
  2. Nossa, lembrei de "My Immortal".
    Achei que só existisse em contos, poesias e músicas.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. quando a gente ama alguém é impossível não ter lembranças boas de tudo que já foi vivido. isso vai permanecer sempre com você e a esperança? ah! com certeza é a ultima que morre, ela vai te acompanhar por um bom tempo. e talvez tudo fique bem .. e eu espero que fique! beijos.

    ResponderExcluir
  5. Maravilhoso!
    "Desde a primeira vez que nossos lábios se encontraram eu deixei de ser eu e passei a ser nós." Amei essa frase, ficou super fofa.
    Pena que enquanto nos tornamos nós, ele ainda é só ele. Não é assim?
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. "Deve ser a maldita da tal esperança, aquela que faz questão de ser imortal."

    Ahh ela sempre se faz imortal!
    Ahh que saudades de vir aqui =/ Seu blog tá LINDO!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. E essa esperança, será que é imortal mesmo, ou imoral? Será que ela existe e é sólida, ou então, camaleoa, muda? Pode ser que sim. Sei que enquanto tudo vive em nós, é difícil jogar veneno e vingar, matar os florismos todos que plantamos com amor.
    Beijoca!

    ResponderExcluir
  8. Essa maldita esperança que fica no peito, sem querer ir embora, e o pior é que ela é sempre a ultima que morre.

    Me surpreendo sempre que venho, um texto mais lindo que o outro. Amei flor!

    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Vais achar ridícula minha comparação mas, na minha opinião, um amor "mal acabado" é como um câncer! Uma hora ou outra vai vir à tona novamente!
    Beijo, querida.

    ResponderExcluir
  10. Linda, seu texto me fez ter uma baita nostalgia...
    Só me chegou isso a mente...mas é assim mesmo, sempre nos vemos, nem que seja um pedaço, no texto que lemos,rs.
    Muito lindo
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Olá ;)
    Marie, AMEI seu blog, sério. Além de ser uma verdadeira delícia ler seus textos, é um lugar gostoso de ficar.
    E este post? Sem palavras.
    "Desde a primeira vez que nossos lábios se encontraram eu deixei de ser eu e passei a ser nós." maravilhoso!

    ResponderExcluir
  12. guria, que demais esse texto"
    "Foi uma espécie de permuta, uma troca de pedaços. Um pedaço teu ficou em mim e um pedaço meu ficou em você, mas parece que o pedaço do meu peito que eu deixei com você foi jogado fora." com várias partes ótimas. estou dizendo, você tem escrito cada post melhor. e super me identifiquei com esse, você até deve fazer uma ideia do porquê. adorei, meus parabéns. um beijo pra ti.

    ResponderExcluir

Sua opinião é sempre muito importante!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...