sábado, 7 de abril de 2012

Da porta


"You told me you'd never fall in love, now that I get you
I know fear is what it really was, now here we are, so close
Yet so far, haven't I passed the test? When will you realize
Baby, I'm not like the rest?"

"Você me disse que nunca se apaixonaria, agora que entendo você

Sei que era medo na verdade, agora estamos aqui, tão perto

E ainda tão longe, não fui aprovada no teste? Quando você perceberá
Querido, que eu não sou como o resto?"
(Give Your Heart a Break - Demi Lovato)



A parte mais difícil de um texto é o começo. Assim como na vida. Você já reparou como é difícil começar a aprender coisas novas, se acostumar com determinados lugares, pessoas, situações? No começo, começar é muito difícil. Começar a esquecer pessoas então, puff... Mas deixa eu te contar uma coisa, eu comecei sem querer. Eu comecei esse texto há uma semana, quando o cheiro da trufa de maracujá de uma moça passeou por todo o ônibus lotado e chegou até mim. Ah, como eu amo aquele cheiro. Naquele momento eu quis escrever sobre aquilo. Eu quis escrever que pela primeira vez eu não odiei o casalzinho do ônibus que passa o tempo todo se beijando. Eu quis escrever sobre a delícia que é chegar em casa, tirar a sapatilha, deitar na cama e roçar o pé quente no edredom gelado. Eu quis escrever sobre as folhas que já estão secando nas árvores, sobre as flores que ainda resistem lindas e coloridas, sobre a lua cheia, a lua minguante, a lua nova, eu quis escrever sobretudo, sobre tudo. Tudo o que me faz feliz e tem me feito feliz. Ele me faz feliz, também. Eu dou risada, porque eu nem sei como ele faz isso, mas ele faz. E, ainda assim, ele morre de medo de me fazer feliz. Aí ele fica nessa de hora falar que tá dentro, hora falar que tá fora. Fora do que, meu bem? Dentro do que? Do meu coração? Não se preocupe, você nem entrou. E é por isso que eu gosto de você, porque você não entra. Você fica na porta. E quando você abre a porta e espia, você fecha correndo, com medo. Eu gosto de você porque eu não te amo. É tão mais fácil assim, tão mais gostoso. Tão mais vivível, se é que essa palavra realmente existe.  Eu gosto de você porque você zerou tudo o que tinha antes de você. Mesmo sem entrar, mesmo ficando só na porta, você mandou todos os que estavam do lado de dentro sair. Aí você me olha da porta e me faz ir até a porta quando quero te beijar. A verdade é que você morre de medo de entrar aqui dentro, dentro do meu coração, da minha vida, da minha cabeça. Você diz que morre de medo que eu não te deixe mais sair e que eu escreva zilhões de textos sobre você, mas a verdade é que o medo que você tem é de querer ficar. Você tem medo de querer abandonar a promiscuidade, de querer abandonar a boemia e todas essas mulheres que ajoelham aos seu pés quando você estala os dedos. Pode ficar na porta, eu não me importo. Até porque, eu adoro você porque eu me amo em primeiríssimo lugar. E eu tô me amando tanto, que gosto de ficar te olhando aí na porta. Tô me amando tanto que não me importo mais de te ver na boemia, nas rodinhas de mulheres bonitas, nas bocas das mulheres bonitas. Você pode passear por todas as bocas, por todos os corpos, por todos os copos, mas eu sei que quando você cansa, você volta pra minha porta. Pra porta do meu coração, para ficar me olhando, me provocando, me chamando para eu ir até você. Porque você morre de medo de vir até mim. Você morre de medo de começar e depois não conseguir terminar. Quer saber? A parte mais difícil de um texto é o fim.

27 comentários:

  1. Começos e fins são MUITO difíceis. Mas o que seria a vida se fosse feita só de meios? Muita falta de brilho. Talvez falta de ofuscamento também, mas seria apenas um vácuo. Um vácuo de coisas que simplesmente estão, sem começarem nem terminarem.
    Nem preciso dizer que amei o texto. Você arrasa.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brigada, Chefa! haha, é isso aí. A graça está nos inícios e nos gran finales ;)

      Excluir
  2. Sei lá, não sei o que comentar, ainda tô digerindo esse texto. Você não arrasa, cara, você destrói!! Puta merda! A M E I demais. Só isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LIIIINDA, PENSEI MUITO EM VOCÊ NESSE TEXTO. Nosssa música, hahaha! Brigaada! *-*

      Excluir
  3. Tudo pode se tornar motivo pra gente escrever. O primeiro passo é sempre o mais difícil.

    ResponderExcluir
  4. Mariê, Mariê, Mariê... O que eu faço com voce menina? VAI PUBLICAR UM LIVRO LOGO PELO AMOR DE DEUS!
    Você arrasa, sua linda!

    Agora, confesso que me vi um pouquinho nesse seu texto, mas também quando é que eu não me vejo em algum texto teu? Acho que todos nós temos um pouquinho de medo, mas é isso o que define as paixonites agudas dos amores não é mesmo? QUem, mesmo com medo, se aventura a entrar dentro do nosso coração... O ruim é quando entram e, quando saem, deixam tudo bagunçado tsc tsc tsc
    Ta lindo, ta tudo tão lindo e tão você <3

    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ale, liiinda! Obrigada, meu amor! De coração! :')

      Excluir
  5. esse texto está mto mas mto mais maduro que todos os outros... acho que esse texto é um divisor de águas, vc está mais do que pronta!!! lindo, de verdade! um texto na primeira pessoa, mas como se vc estivesse se vendo de fora da história... será que consigo me fazer entender... vc já não é mais apenas uma blogueira, é escritora. A partir de agora, é ir pro abraço... amei. Amo ler o que vc escreve! Parabéns. marleny Fagundes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marleny! Sou tão grata a você por tudo, por toda a força desde o início e tudo mais que você não faz ideia. Esse comentário me fez praticamente chorar, aqui. Um beijo, linda!

      Excluir
  6. Seus textos me levam pra outro lugar do mundo, Marie! Gente, que delícia de continuar lendo e não dá vontade de parar. Concordo com a Alê! Vai publicar um livro, vai ser daqueles que quando eu termino de ler sinto vontade de chorar porque não tem outra páginas. Livros deveriam ser eternos, ai, ai.

    Amei o texto e amei saber que você está indo super bem com tudo isso e é bom não estar presa, mas saber que tem pra onde ir. Você está mais no controle que nunca, flor. Beijooo ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que eu posso te dizer? Brigaaadãao, Brubs linda da minha vida. Ai, meu sonho escrever um livro, mas me falta tempo. Vou investir, sério. Vou tentar! Fiquei até empolgada, haha. Beijos!

      Excluir
  7. Meu Deus, o que você você tem é um dom, que texto linnnnnnnnnnndo. Vai lá, escreve esse livro que eu quero um exemplar autografado!
    E o que eu achei incrível é que a situação é a mesma que me encontro no momento, rs. Essa coisa de ficar na porta, de espiar, de não ter um compromisso, sem dúvida é a parte mais gostosa, mais leve e proveitosa de um "relacionamento" (podemos chamar assim?, rs) Parabéns, aproveite essa fase e continue escrevendo esses textos maravilhosos pra gente ficar aqui lendo sem fim hihhihh ♥

    ResponderExcluir
  8. Lindíssimo texto, Marie!
    Não sei se "vivível" existe, mas eu gostei demais hahahaha
    E não sei também qual é a parte mais difícil das coisas que a gente resolve fazer na vida, como um texto - começar ou terminar? Só sei que ter medo de viver e de estar com uma pessoa especial é torna tudo ainda mais difícil!

    ResponderExcluir
  9. Eu não consigo fazer isso, Marie! Queria, mas não consigo ser assim! A porta aqui tá sempre aberta e, mesmo quem não quer entrar, acaba sendo sugado lá pra dentro. O maior problema é que geralmente não é recíproco. Mas uma coisa é verdade absoluta e incontestável: acima de tudo, eu me amo mais. E ninguém, dentro ou fora, vai poder mudar isso.

    Destruiu com o texto, menina! Beijos

    ResponderExcluir
  10. Sabe Marie, te admiro muito. Admiro porque você se joga nas coisas e não teme. Os outros temem, você não. Você é a cara da coragem. É um exemplo pra mim, de verdade. Porque eu vejo muito de mim em você, das inseguranças e dos "poderia ser mas não foi", mas daí você vai lá e destrói. Faz ser. E quando não consegue, simplesmente não tem medo de dar a cara a tapa e escrever o que te vem em mente, sem se importar para quem vai ler ou o que vão pensar de você. Porque você não liga. Você está bem, feliz consigo mesma. Amando-se em primeiro lugar. Deixando o resto pro resto. Aproveitando as partes boas e ignorando as ruins e cara, eu morro de orgulho de você por isso! De verdade! Um dia talvez quem sabe eu chegue a esse nível, no momento ainda sofro, me descabelo, choro e escrevo zilhões de textos em locais onde ninguém jamais lerá, porque tenho medo de magoar alguém. Você é superior ao medo. Você é demais. Como diz o nome do blog, tu é top.
    Beijos, abraços, apertos de mão, afagos e tudo mais que precisar :)
    (Porque mesmo achando os inícios e os fins complicados, preenche tão bem o meio que eles se tornam insignificantes)

    ResponderExcluir
  11. Amiga, voce seeeeeeeempree escreve tudo que eu sinto. "Porque voce sempre volta pra minha porta" hahahaha meeeeeega real! Amei, como sempre e depois coloco algumas frases no meu twitter, porque voce é muito amor! Hihihi beeeijos lindinha, love u.

    ResponderExcluir
  12. Meu Deus, me deixou sem palavras!
    Que delícia quando a gente se identifica com algo que parece escrito pra gente né?
    Você escreve mui-to. E a verdade é que a gente tem quase a mesma coragem que a Tati Bernardi, viu? Hahaha.
    Lindo demais!

    ResponderExcluir
  13. Ah, Marrrrriiii! Que texto lindo. Acho que estou começando a viver mais ou menos essa historia da porta. Pior que eu quero mesmo viver essa historia da porta. *-*

    "Eu gosto de você porque você zerou tudo o que tinha antes de você."
    Vou roubar, haha^^

    ResponderExcluir
  14. posso fazer um comentário off topic? Capricho, né? fui obrigada a conhecer a Demi e tals. vi entrevista, vídeo, documentário... dai vi a gata cantando (essa música, aliás) em American Idol. vou te confessar que gosto da menina?

    (mas não conta pra ninguém)

    ResponderExcluir
  15. Eu bem que gostaria de ser assim de contentar que ele chegasse so na porta do meu coração, que so visitasse, so passasse de vez em quando, mas acho que não consigo, taí, uma lição pra eu aprender.
    Lindo texto flor!

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Sempre venho procurar o que eu preciso dizer aqui (:

    ResponderExcluir
  17. Complicado essas portas que a vida coloca frente agente né? E quando não sabemos o que tem lá dentro então, pior.
    Difícil dar o passo, abrir. A gente tem medo do que nos espera, do que podemos odiar, mas gostar e querer ficar, aí sim, tem um problema. rs
    Que continue assim, enquanto te fizer bem, uma espiadinha no buraco da fechadura, não faz mal a ninguém. Intiga, atiça a vontade, prepara o terreno pra fazer morada, pra ficar.
    Demais esse texto Marie! (:

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Não sei porque não venho ao seu blog todos os dias para ficar lendo, trelendo e sentindo tudo o que você diz porque olha, Marie, você é genial. Ge-ni-al.

    ResponderExcluir
  20. Ai Marie... por um tempo é gostoso quando eles ficam na porta só olhando, só provocando,só nos convidando... mas chega uma hora que a gente quer q eles decidam: ou entra de vez ou deixa a porta livre pra outro. Maravilhoso texto!!

    ResponderExcluir
  21. Seu texto ficou impecável. Excelente. Muito bom! Só um adendo: deixa ele na porta que ele tá merecendo. haha Amanhã vou postar seu texto no meu facebook. Amei!

    ResponderExcluir

Sua opinião é sempre muito importante!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...